12 de Janeiro de 2015 15:01

6 perguntas sobre circuncisão

Como é feito o procedimento?

A circuncisão consiste na retirada do prepúcio, pele que recobre a glande, ou seja, a extremidade do pênis. O termo se refere a um ritual da tradição judaica chamado brit milá. Já a retirada cirúrgica é chamada pelos especialistas de postectomia. Em crianças, ela é realizada com anestesia geral. O paciente pode ir para casa, em geral, quatro horas depois da operação. A recuperação é tranquila: em uma semana a criança já pode retornar as atividades normais. Se tiver dores, o pediatra pode indicar o uso de analgésicos.

Qual a indicação médica para a cirurgia?

Antes dos 2 anos de idade, apenas se houver algum problema como infecções urinárias de repetição e inflamação no prepúcio com frequência, a ponto de dificultar a saída da urina. Praticamente todos os meninos nascem com a chamada fimose fisiológica, ou seja, têm o prepúcio “grudado” na glande. Mas ele tende a se desprender do pênis naturalmente na maioria dos casos até os 8 anos de idade. A recomendação de massagear o prepúcio do menino para trás com o intuito de acelerar o processo não é consenso entre os especialistas. Isso porque há o risco de machucar o pênis e estreitar ainda mais o anel, o que pode levar a uma fimose de verdade. Então, esse tipo de tração deve ser feito apenas na hora do banho, sem forçar, para limpar a região. Em alguns casos, o pediatra também pode indicar uma pomada com corticoide para auxiliar o descolamento. Por volta dos 2 anos de idade, já é possível retrair o prepúcio em 92% dos meninos. Por isso, a postectomia é recomendada apenas como último recurso.

Se meu filho não teve fimose, deve fazê-la mesmo assim?

A decisão fica por conta dos pais, pois a opinião dos médicos sobre o assunto não é unânime. A prática é comum nos Estados Unidos, mesmo sem nenhuma relação com a religião, mas não por aqui. Uma das vantagens seria a diminuição do risco de infecções urinárias. Isso porque a região do prepúcio favorece a proliferação de bactérias. A explicação estaria no simples fato de a circuncisão facilitar a higiene do pênis. Existem estudos feitos na África, em países com altos índices de Aids, que mostram que a operação pode reduzir as chances de contaminação pelo HIV. Mas ainda assim ela não dispensa o uso de preservativos. Acreditava-se também que ela seria útil na prevenção contra o câncer peniano. Mas pesquisas mostraram que só faria diferença em casos de fimose, mesmo.

Existe uma idade ideal?

Como falamos, antes dos 2 anos é melhor esperar. A partir daí, caso o pediatra ache necessário, convém fazer a cirurgia entre 3 e 4 anos, apenas porque a recuperação é menos traumática nessa época. Também é melhor esperar a criança deixar as fraldas, já que o atrito da glande com as mesmas pode causar fissuras no local.

O plano de saúde cobre?

Sim. Se houver indicação médica, a maioria dos convênios médicos e o SUS cobrem a cirurgia.

A retirada do prepúcio pode reduzir a sensibilidade?

Sim. No entanto, o procedimento não vai interferir no prazer sexual no futuro.

 

Fontes: Bruno Camargo Tiseo, médico preceptor da disciplina de urologia da Faculdade de Medicina da USP; César Sabbaga, cirurgião pediátrico do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba



OUTRAS NOTÍCIAS
20 de Abril de 2016 10:04
Por que devo fazer o exame da próstata aos 50 anos?

Pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) mostra que a maioria dos homens brasileiros (51%) não vai ao médico regularmente. Principal causa de morte por câncer em homens depois dos tumores de pulmão, o câncer de próstata não apresent... (continuar lendo)

13 de Abril de 2016 11:04
Hiperplasia benigna da próstata atinge 50% dos homens após os 50 anos

A hiperplasia benigna da próstata (HPB) é o tumor mais frequente no homem. Estima-se que cerca de 50% dos homens apresentam algum grau da doença após os 50 anos e que mais de 30% necessitarão de tratamento durante a vida. A HPB é caracterizada ... (continuar lendo)

29 de Março de 2016 08:03
Cistite de repetição

O que é? Cistite é uma infecção que acomete a bexiga, ou seja, uma infecção do trato urinário baixo (ITU). As cistites são muito comuns em mulheres. Estima-se que 50 a 80% delas apresentarão ao menos um episódio de cistite ao longo da vida. De 20 a 50% das mul... (continuar lendo)


Voltar-noticias

NOSSOS CONVÊNIOS

Confira alguns dos nossos principais convênios e parceiros de atendimento.

01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23